Curso de Perícia Judicial e Extrajudicial, Assistência Técnica em Fisioterapia/RJ

ESSE CURSO DÁ DIREITO A FILIAÇÃO GRATUITA AO CONPEJ

Objetivo

Apresentar informações para que o profissional Fisioterapeuta possa atuar em perícias judiciais:
Justiça Federal – Perícias de saúde e outras.
Tribunal de Justiça/RJ – Perícias securitárias e outras.
Justiça do Trabalho – Perícias trabalhistas.

Objetivos específicos:
Apresentar informações para favorecer o profissional Fisioterapeuta a atuar na justiça estatal e justiça privada na qualidade de perito judicial ou assistente técnico, produzindo laudos e pareceres, formulando e respondendo quesitos, aplicando métodos de análises fisioterapêuticas e investigações periciais, inquerindo, entrevistando e dialogando no campo judicial e também no campo extrajudicial;
Apresentar informações para que o profissional possa atuar na elaboração de pareceres fisioterapêuticos voltados para atendimento das demandas judiciais previdenciárias, securitárias e outras.

Público Alvo

Fisioterapeutas e acadêmicos do último período da graduação

Metodologia do Curso

Nosso curso de Perícia Judicial e Extrajudicial para Fisioterapeutas utiliza a METODOLOGIA ATIVA DE ENSINO, com problematização em sala de aula e o método de ESTUDO DIRIGIDO na forma semipresencial, desta forma, você necessita: Responder as perguntas da Folha de Questionamentos e remeter para e-mail da Tutoria do
curso até antes da data de início do próximo Módulo.
A Tutoria analisa as respostas e as envia para seu e-mail, com as possíveis solicitações de correções/adequações.
Sempre que as respostas forem sinalizadas para adequações você deverá refazê-las e as Reenviar a Tutoria.
O Módulo será considerado encerrado com a segunda correção dos Tutores, ou na primeira correção se o aluno considerar que não deseja fazer mais correções.
O prazo médio de correção do Tutor é de 3 (três) dias para a primeira e 3 (três) dias para a segunda correção, dentro dos dias previstos para as respostas do módulo e antes do inicio do próximo módulo.
Será considerado com bom aproveitamento no Módulo, o aluno obtenha 70% de acerto dos questionamentos quando da entrega da segunda correção, ou, será encerrado o módulo – se o aluno considerar que não deseja fazer correção no primeiro ou segundo envio.

Conteúdo Programático

MÓDULO 1: INTRODUÇÃO – A HISTÓRIA DAS PERÍCIAS DA ANTIGUIDADE AO PERÍODO CONTEMPORÂNEO

A Perícia Fisioterapêutica no contexto histórico;

A perícia na antiguidade;

A perícia na idade média;

O início da atuação do profissional fisioterapeuta nas perícias;

Nossa atuação contemporânea;

Áreas de maior atuação do Fisioterapeuta em perícias judiciais, perícias extrajudiciais e assistências técnicas judiciais no Estado do Rio de Janeiro.

MÓDULO 2: PERÍCIA JUDICIAL E ASSISTÊNCIA TÉCNICA JUDICIAL CÍVEL E FEDERAL – I LAUDOS E PARECERES NA JUSTIÇA CÍVEL E JUSTIÇA FEDERAL

Conceito de trabalho do fisioterapeuta perito judicial

– O que faz um Perito judicial?

  • Justiça federal
  • Justiça cível

Conceito de fisioterapeuta Assistente Técnico Judicial

– O que faz um Assistente técnico judicial?

  • Justiça federal
  • Justiça cível

O Fisioterapeuta Perito / Assistente Técnico na Justiça Federal

  • Ações previdenciárias
  • Ações de saúde
  • Outras ações (diversas)

O Fisioterapeuta Perito / Assistente Técnico na Justiça Cível

  • Erro Fisioterapêutico
  • Erro Médico
  • Ações securitárias diversas e DPVAT
  • Outras áreas de atuação na justiça cível

O Fisioterapeuta Parecerista em ações judiciais e administrativas            

     (área previdenciária, securitária, criminal e outras)

Conceitos:

  • Incapacidade físico funcional
  • Incapacidade laboral
  • Incapacidade para fins previdenciários
  • Deficiência X Invalidez

Apresentação de modelos diversos

  • Laudos periciais justiça federal e cível
  • Conceito;
  • Elaboração;
  • Estrutura;
  • Encaminhamento;
  • Quesitos e respostas;
  • Entrega do laudo pericial;
  • Quesitos suplementares;
  • Esclarecimentos de quesitos.

Parecer de assistência técnica judicial

  • Na Justiça Federal
  • Na Justiça Cível
  • Parecer transversal para uso judicial

Parecer transversal para uso extrajudicial

– Relatório/Declaração/Atestado de intervenção fisioterapêutica

MÓDULO 3: DIREITO APLICADO A FISIOTERAPIA – I

– Perícia Judicial: Qual a sua necessidade legal e aplicações?

– Quem pode ser Perito ao olhar legal?

– CPC: Seção X Da Prova Pericial (Art. 464 a 480) e outros artigos de Interesse.

– CPP: Crimes relacionados a Peritos previstos no código de processo penal.

– CLT: Reclamatória trabalhista (Art. 840 da CLT) outros artigos de interesse.

– Previdência Social: Lei nº 8.213 de 1991 – Dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência Social e dá outras providências (Outras Leis, Instruções Normativas e Decretos do INSS).

– DPVAT: (Lei 11.482, de 2007 e Lei nº 11.945, de 2009). Seguro obrigatório de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de via Terrestre, ou por sua carga, a pessoas transportadas ou não, observadas as alterações promovidas pela resolução SUSEP.

MÓDULO 4: PSICOLOGIA APLICADA À PERÍCIA FISIOTERAPÊUTICA

–           O aparelho psíquico e os mecanismos psicológicos humanos – o que está de verdade em jogo nos encontros, diálogos e documentos, em uma ação em Perícia?

–             – Uma experiência de autoconhecimento pela Psicologia Cognitivo Comportamental.

–           Habilidades sociais importantes para um perito:

–             – Técnicas assertivas e de comunicação;

–             – O instigante tema da “verdade/mentira” no diálogo paciente – fisioterapeuta.

–           Abordagem a achados de danos e adoecimento psíquico em análises de situações de trabalho pela NR 17:

–             – Possíveis encaminhamentos em Perícias Complexas.

–           Noções sobre métodos e medidas adequadas para uma avaliação de danos e adoecimento psíquico com nexo com o trabalho:

–             – Estresse ocupacional, assédio moral/ bullying, pressões por resultados, assédio sexual, depressão, ansiedade, alcoolismo e dependência de substâncias;

–             – Testes e instrumentos de identificação de fatores de qualidade de vida no trabalho para uso de psicólogos e de não psicólogos;

–           Noções sobre transtornos psicológicos pelo DSM V e CID X, e sua inserção nos preceitos da NR-17.

–           Visão psicossomática da fadiga crônica, dores nas costas e cancer.

–           Ergonomia, carga psíquica de trabalho, e visão psicodinâmica da dor por esforços repetitivos.

MÓDULO 5: FISIOTERAPIA EM PERÍCIAS, A CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE FUNCIONALIDADE E SAÚDE (CIF/OMS) E TABELA DPVAT.

Classificação internacional de funcionalidade e saúde CIF/OMS e tabela DPVAT

CIF em Fisioterapia

– Uso da classificação internacional de funcionalidade e saúde (CIF/OMS) em perícias judiciais fisioterapêuticas, perícias extrajudiciais e na elaboração de pareceres para fins de uso administrativo ou judicial.

– Função.

– Objetivo.

– Contexto da CIF.

– Exemplo para codificação.

– Legislação de amparo ao uso da CIF/OMS.

– Estudo da CIF/OMS e sua aplicação em perícias, judiciais, extrajudiciais, assistências técnicas judiciais.

– Estudo da avaliação físico funcional fisioterapêutica aplicada à CIF/OMS para uso judicial e extrajudicial.

– Classificação pela CIF.

(Quantificação, Qualificação e Codificação das incapacidades físico funcionais dentro do contexto do curso).

– Estudo das diferenças da CIF e tabela DPVAT.

– DPVAT Lei 6.194 de 1974

– Lei 11.482 de 2007

– Lei 11.945 de 2009

– Tabela do DPVAT e a Repercussão da lesão

– Quantificação de perda pela tabela DPVAT

– Oficina:

Práticas de Classificação pela CIF/OMS

– Quantificar

– Qualificar

– Codificar

– Práticas de quantificação de perdas pela tabela DPVAT.

MÓDULO 6: REDAÇÃO JURÍDICA

– Como Fazer Uma Redação Jurídica;

– Linguagem técnica;

– A necessidade da linguagem precisa e o subjetivismo;

– Advérbios de intensidade;

– Premissa maior e menor;

-Termos jurídicos comuns.

MODULO 7 : Normas ABNT e a elaboração de documentos periciais

–  Abordagem teórica e prática vivencial;

– A formatação de laudos e pareceres;

– A digitação de laudos e pareceres;

– Espaçamento;

– Justificativa;

– Tipos de letras;

– Recuos;

– Dicas e temas correlatos.

MODULO 8: ERGONOMIA

Ergonomia – Etimologia;

Ergonomia – Surgimento;

Ergonomia – Definição;

Ergonomia – Quem pode atuar?

Ergonomia – Quem pode fazer análise ergonômica do trabalho?

Ergonomia – Evolução:

Ramazzini / Bélidor / Jastrzebowski e outros / a primeira Sociedade de Ergonomia do Mundo / Segunda Guerra Mundial / A fundação da Abergo.

A Ergonomia:

Ergonomia “clássica” <seu foco> ;

Ergonomia “social” <seu foco> ;

Ergonomia da Atividade;

Ergonomia de Fatores Humanos, suas Disciplinas de Base e a Perícia.

A Ergonomia:

Física

Cognitiva

Organizacional

A Fisiologia do Trabalho:

Definição.

Musculatura e Nutrição Sanguínea.

A irrigação sanguínea no esforço muscular (repouso / estático / dinâmico).

Fisiologia da Hipóxia e sua ocorrência.

Força, Atrito e Compressão de Tecidos Nobres.

A contração estática, suas características e suas ocorrências comuns no trabalho real.

O trabalho muscular dinâmico.

Condições de trabalho onde ocorrem contrações musculares mistas, suas características e suas ocorrências mais comuns no trabalho real.

Teorias Relacionadas à Ergonomia:

Ergonomia Física e Campos de Aplicação;

Ergonomia Cognitiva e o Conceito Operatório;

Ergonomia Organizacional e os sistemas sociotécnicos, as estruturas organizacionais, suas políticas e processos.

Oficina: Atividade prática em sala de aula

Ergonomia, legislação, normatizações e a perícia judicial e extrajudicial.

Ergonomia e algumas considerações técnicas – ABNT / NBR / ISO / OHSAS / Notificação do AFT / INSS / Provas judiciais / Seis Critérios do Binômio Conforto e Produtividade / Ferramentas ergonômicas e perícias judiciais / Áreas de interesse da ergonomia na perícia judicial.

 

MODULO 9: SEGURANÇA DO TRABALHO

– Os Riscos Ocupacionais

– Acidente de trabalho

                     Os Tipos de Acidentes:

Acidente de típico

Acidente de trajeto

Doença ocupacional

– CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes;

– Mapas de riscos ambientais;

– Equipamentos de Proteção: EPI – EPC;

– Princípios de higiene ambiental;

– Biossegurança na saúde;

– Não Conformidades: O que são e onde podem estar;

– PGRSS – Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde;

– Temas correlatos e de interesse do Fisioterapeuta Perito.

 

MODULO 10: ANTROPOMETRIA

Antropometria

           (Medição sistematizada – Áreas de aplicação – Biomecânica e antropometria)

– Histórico antropometria

– Homem Vitruviano

– Diferença entre Ergonomia Ergometria

As 6 etapas que se deve observar:

– Os personagens e o raciocínio compartilhado

– Baddesign

– Iida & Wierzbicki (1973)

– Variações das medidas

– Variações intraindividuais

– Influência da etnia nas proporções corporais

– Pesquisa de Sheldon

– Variações extremas

– Antropometria estática

– Antropometria dinâmica

– Antropometria funcional

– Exercício sobre antropometria (em sala de aula)

MODULO 11: PERÍCIA JUDICIAL E ASSISTÊNCIA TÉCNICA JUDICIAL TRABALHISTA – I LAUDOS E PARECERES NA JUSTIÇA DO TRABALHO

– O que é a perícia trabalhista, qual a sua necessidade;

– Quem pode ser Perito trabalhista;

– Suas Funções, Atuações e Responsabilidades;

– Participação dos Assistentes Técnicos;

– Análise do Processo trabalhista;

– Avaliação Clínica;

– Diligência in loco;

– Definição de Biomecânica e cinesiologia e sua aplicação na Perícia Fisioterapêutica Trabalhista;

– Análise Ergonômica do Posto de Trabalho do Reclamante;

– Aplicação de Ferramentas Ergonômicas.

MODULO 12: DIREITO APLICADO A FISIOTERAPIA – II

   – Fisioterapia: Leis e Resoluções / Tópicos Pertinentes a Pericia

   – Decreto Lei 938 de 13 de Outubro de 1969 – Provê sobre as profissões de fisioterapeuta e terapeuta ocupacional, e dá outras providências.

– Lei nº. 6316, de 17 de dezembro de 1975 – Cria o Conselho Federal e os Conselhos Regionais de Fisioterapia e Terapia Ocupacional e dá outras providências. – Resoluções do CNE e do COFFITO.

   – Resolução CNE/CES nº 4 de fevereiro de 2002.

   – Resolução COFFITO 80 de Maio de 1987.

   – Resolução COFFITO 259, de Dezembro de 2003.

   – Resolução COFFITO nº 370, de Novembro de 2009.

   – Resolução COFFITO nº 424, de Julho de 2013.

   – Resolução COFFITO nº 464, de Maio de 2016.

   – Resolução COFFITO nº 466 de Maio de 2016.

   – Interpretação das Leis e Resoluções.

   – Jurisprudências favoráveis à fisioterapia na perícia e assistência técnica.

   – A atuação do Fisioterapeuta Perito – Assistente técnico – Parecerista.

   – Provas aceitas em juízo.

   – Verdade Real x Verdade Jurídica.

   – Responsabilidades: Civil objetiva / subjetiva.

   – Negligência – imperícia – imprudência e a culpa.

   – Tipos de nexo (nexo jurídico x nexo técnico).

   – O Processo.

   – A linguagem jurídica.

– Ritos processuais.

– Fases Processuais.

– Intimação nos autos.

– Assistência judiciária gratuita.

– Retirada dos autos.

– Prazos judiciais.

– Preclusão / Prescrição / Decadência.

– A assistência técnica judicial, os pareceres transversais e sua importância.

– Contratos e outros documentos para a atuação do fisioterapeuta na área de assistência técnica judicial e parecerista para uso judicial e extrajudicial.

 

MODULO 13: PERÍCIA JUDICIAL E ASSISTÊNCIA TÉCNICA JUDICIAL TRABALHISTA – II LAUDOS E PARECERES NA JUSTIÇA DO TRABALHO

– Levantamento de Documentos da Reclamada;

– Levantamento do Histórico da Reclamada;

– Correlação da Patologia com a Atividade Ocupacional;

– Definição de Biomecânica e Cinesiologia Ocupacional.

-Biomecânica Ocupacional e Cinesiologia aplicada a Perícia Fisioterapêutica Trabalhista:

– Estabelecimento do Nexo Causal;

– Resposta aos Quesitos;

– Fechamento do Laudo;

– Honorários;

– Impugnação/ Esclarecimentos;

– Participação dos Assistentes Técnicos;

– Interpretação do Processo;

– Formulação dos Quesitos;

– Acompanhamento da Diligência;

– Atividades Práticas da Função do Perito e do Assistente Técnico.

MODULO 14: PERÍCIA JUDICIAL E ASSISTÊNCIA TÉCNICA JUDICIAL CÍVEL E FEDERAL – II LAUDOS E PARECERES NA JUSTIÇA CÍVEL E JUSTIÇA FEDERAL

Como Fazer:

– Leitura e interpretação processual

– Olhar do perito;

– Olhar do Assistente técnico do Autor;

– Olhar do Assistente técnico do Réu;

– Formulação dos Quesitos.

– Levantamento dos fatos e documentos

– Lógica;

– Percepção;

– Ciência;

– Raciocínio Pericial;

– Ouvindo testemunhas;

– Obtendo informações;

– Solicitando documentos que estejam em poder da parte, de terceiros ou em repartições públicas;

– Instruindo o laudo com planilhas, mapas, plantas, desenhos, ou outros elementos necessários ao esclarecimento do objeto da perícia;

– Fotografia de evidências na área forense.

MODULO 15: BAROPODOMETRIA E ESTABILOMETRIA EM PROVA PERICIAL

– A importância dos exames funcionais na rotina do fisioterapeuta perito, do assistente técnico e do parecerista;

– Geração de dados quantitativos e qualitativos pela Baropodometria e Estabilometria para uso em perícia judicial, assistência técnica, perícia extrajudicial e na elaboração de parecer para uso judicial.

MODULO 16: A PRESCRIÇÃO DE MEDICAMENTOS, A LEGISLAÇÃO, A PERICIA JUDICIAL E EXTRAJUDICIAL EM FISIOTERAPIA.

“Normatização da utilização e/ou indicação de substâncias de livre prescrição pelo fisioterapeuta – Conhecimentos importantes nas pericias judicial e extrajudicial em fisioterapia, na esfera cível no RJ”.

– Decreto 938 de 1969.

-Resolução COFFITO n°8 e n°80.

– RESOLUÇÃO COFFITO n°424.

– RESOLUÇÃO COFFITO 380 de 2010.

– Acórdão COFFITO 611 de 2017.

– Acórdão COFFITO 919 de 2018.

-Fitoterápicos/Fitofármacos.

-Homeopatia e Antroposofia.

-Terapia Ortomolecular.

-Terapia Fotodinâmica e Fotossensibilizadores.

* Roda de conversas sobre as questões lançadas.

– Problematizações sobre as questões lançadas e esclarecimentos.

APRESENTAÇÃO DE PARECER – TCC (BANCA) – CONFRATERNIZAÇÃO COMEMORATIVA AO ENCERRAMENTO DO CURSO

Vantagens do curso

Certificado, material durante a aula e Filiação

Data

11 e 12/01  25 e 26/01  08 e 09/02  29/02 e 01/03  21 e 22/03  04 e 05/04

“A garantia da sua vaga depende do envio antecipado do comprovante de pagamento.”

Carga Horária

200 horas semipresencial : 120 horas presenciais e 80 horas EAD.

Duração

12 (doze) dias/aulas

Horário

Das 8:00 às 18:00 horas

Professor

Prof. Marco Gama, Esp – Fisioterapeuta Crefito 134858-F, Ergonomista – Perito Judicial Cadastro Sejud/TJERJ 10678

 Professor de graduação em Fisioterapia – FABA/RJ

Atuações como Professor Convidado na Cadeira de Ergonomia em Programas de Pós-Graduações:

 * Engenharia de Segurança do Trabalho – UNIG / RJ

 * Enfermagem do Trabalho – UVA / RJ

 * Ergonomia – CESERG / FAF / UFRJ

Perito Judicial na Justiça Federal / RJ

Perito Judicial no Tribunal de Justiça / RJ

Assistente Técnico Judicial no TRT / RJ

Foi coordenador da 1ª Câmara Técnica de Perícia do Crefito-2

Diretor Nacional da Associação Brasileira de Perícias Fisioterapêutica – ABRAPEFI

Sócio Fundador da ABRAPEFI

Diretor do departamento de perícias judiciais e extrajudiciais da Associação dos Fisioterapeutas do Estado do Rio de Janeiro – AFERJ

Perito Sênior Associação Brasileira de Fisioterapia Forense – ABFF

Ergonomista associado à ABERGO

Ergonomista (GENTE-COPPE-CESERG-UFRJ)

Gestão de Projetos Modelo PMI (CEPUERJ-UERJ)

Legislação Previdenciária (DHS-FIOCRUZ)

Fisioterapia Forense (IBRATE)

Perícia Judicial (ESAJ – TJ RJ)

Perícia Judicial e Assistência Técnica para Fisioterapeutas (ABFF)

Perícia Judicial e Assistência Técnica para Fisioterapeutas (IBRAFIT-RJ)

Perícia Judicial para Fisioterapeutas – Método Veronesi – (INAESP-SP)

Perícia Judicial (CONPEJ-RJ)

Consultor em Ergonomia com atividades em diversas áreas produtivas no Brasil;

Autor de artigos de temáticas relacionadas à Ergonomia;

Apresentação oral de Artigo no Congresso Brasileiro de Ergonomia da Abergo;

 

Prof. Francisco Salustiano, Me – Fisioterapeuta Crefito 23512-F Advogado OAB/RJ 204910.

Professor na graduação em Fisioterapia FABA/RJ

Coordenador de curso de graduação em Fisioterapia FABA/RJ

Coordenador de Programas de Pós-Graduações em Fisioterapia FABA/RJ

Professor de Diversos Programas de Pós-Graduação em Fisioterapia e Direito. RJ

Diretor do departamento de pericias judiciais e extrajudiciais da Associação dos Fisioterapeutas do Estado do Rio de Janeiro – AFERJ

Membro associado à Associação Brasileira de Perícias Fisioterapêutica – ABRAPEFI;

Pós-graduado em saúde do trabalhador (Fiocruz);

Pós-graduado em Anatomia e Biomecânica (UCB);

Pós-graduado em Direito Penal e Processo Penal (UNIVERSO);

Pós-graduado em Direito Militar (UCAM);

Mestre em Psicologia Social (UNIVERSO).

 

Profa. Elaine da Silva Viola, Dra. Psicóloga, Ergonomista, Perita.

Professora COPPE/CESERG/UFRJ

Professora Universitária em diversas IES no RJ;

Perita Judicial no TJ/RJ;

Assistente Técnico judicial;

Parecerista para ações judiciais e extrajudiciais;

Graduada em Psicologia (UERJ);

Pós-graduada em Educação e Desenvolvimento de Recursos Humanos (UFRJ);

Pós-graduada em Ergonomia (PEP-COPPE-CESERG-UFRJ);

Mestre em Engenharia de Produção com ênfase em Ergonomia (COPPE/UFRJ);

Doutora em Engenharia de Produção com ênfase em Ergonomia (COPPE/UFRJ);

Consultora em Ergonomia e Desenvolvimento Organizacional com atividades no Brasil e exterior;

Autora de artigos de temáticas relacionadas à Ergonomia, Qualidade de Vida e Estresse;

Apresentação de Artigo como curso de abertura no Congresso Brasileiro de Psicologia do Trabalho;

Autora de capítulos de livros de temáticas relacionadas à Ergonomia, Qualidade de Vida e Estresse;

Apresentação de artigo em congresso internacional;

 

Profa. Geísa Nunes Santos Ferreira do Patrocínio, Esp. Fisioterapeuta Psicopedagoga – Assistente Técnico judicial – Crefito 16912-F

Pós-graduada em Fisioterapia Traumato-Ortopedia – UCB/RJ

Pós-graduada em Fisioterapia Forense – IBRATE/PR

Psicopedagoga Clinica e Institucional – UNIG/RJ

Parecerista para ações judiciais e extrajudiciais

Foi membro da 1ª Câmara Técnica de Perícia do Crefito-2

Membro associada à Associação Brasileira de Perícias Fisioterapêutica – ABRAPEFI

Colaboradora do departamento de perícias judiciais e extrajudiciais da Associação dos Fisioterapeutas do Estado do Rio de Janeiro – AFERJ

Perito Sênior Associação Brasileira de Fisioterapia Forense – ABFF

Consultora em Ergonomia IBRAFIT/RJ

 

Prof. Homero Vitral Couto, Esp – Arquiteto – Engenheiro de Segurança do Trabalho

Arquiteto – Faculdades Integradas BENNETT- RJ

Engenheiro de Segurança do Trabalho – Universidade Federal Fluminense UFF/RJ.

Coordenador de SESMT na função de Engenheiro de Segurança do Trabalho em empresas de grande porte no RJ

Vivencia em adequação de máquinas e equipamentos das áreas operacionais em variados setores, conforme estabelecido na Norma Regulamentadora NR12/MTE;

Criação e Implementação do Programa de Catástrofe Interna e Externa com Múltiplas Vítimas em empresa de grande porte;

Criação e implementação do Plano de Emergência de derramamento de Produtos Químicos e Quimioterápicos Perigosos;

Criação e implementação do Plano de Ação de combate ao incêndio (formação e treinamento de brigadistas, organização das rotas de fuga e pontos de encontro);

Acompanhamento de perícias trabalhistas (insalubridade e periculosidade), fiscalizações e auditorias (CBMERJ, MTE, ANVISA, IBAMA e INEA);

Formação em Engenharia de avaliações e pericias judiciais – CREA/RJ.

Biossegurança – Instituto Fernandes Figueira – RJ. 15ª Turma.

Programa de compliance Antissuborno e Anticorrupção – Grupo Amil.

Higiene Ocupacional – Avaliação Ambiental.

Laudos – Pericias – Avaliações – PPRA – PCMSO.

 

Prof. Luiz Ricardo Moreira, Me. Desenhista Industrial – Ergonomista – PEP COPPE GENTE CESERG UFRJ.

Professor Universitário – CESERG FAF UFRJ

Professor do curso de especialização superior em ergonomia no programa de engenharia de produção do Instituto Alberto Luís Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa em Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro – PEP COPPE CESERG UFRJ.

Professor convidado em diversos programas de pós-graduação de Ergonomia em diversas IES em variadas unidades da federação.

Especialista lato sensu em ergonomia – PEP COPPE CESERG UFRJ.

Mestre em Engenharia de Produção com ênfase em Ergonomia – PEP COPPE UFRJ.

Autor de diversos artigos na área com apresentações em diversos congressos nacionais e internacionais da ABERGO.

Consultor em Ergonomia com diversos trabalhos realizados em diversas empresas de diversas áreas produtivas.

 

Prof. Emerson Gomes Baéssa, Esp. Fisioterapeuta do Trabalho – Ergonomista – Perito – Crefito 86651 F.

Professor Graduação em Fisioterapia – Faculdade Pitágoras – Ipatinga-MG.

Fisioterapeuta da Prefeitura Municipal de Coronel Fabriciano.

Perito Judicial na Comarca de Coronel Fabriciano – MG (Secretaria do Juízo da vara da fazenda público e precatório – cível e criminal).

Perito Judicial na Segunda Vara Cível de Coronel Fabriciano – MG.

Perito Oficial no JESP – GV / MG – Juizado Especial de Governador Valadares.

Diretor Nacional da Associação Brasileira de Perícias Fisioterapêutica – ABRAPEFI.

Sócio Fundador da ABRAPEFI.

Fisioterapeuta formado pela Faculdade União Educacional do Vale do Aço – UNIVAÇO – Ipatinga MG.

Graduando em Direito pela Faculdade Pitágoras/Ipatinga MG.

Especialista em Fisioterapia em Traumato – Ortopedia com ênfase em terapia Manual.

Pós graduado em Ergonomia e Qualidade de vida.

Pós Graduado Fisioterapia do trabalho.

Participações como palestrante em diversos Congressos, Simpósios e Seminários.

 

Prof. Felipe Santa Rita – Esp. Fisioterapeuta – Crefito 30908-F

Professor Convidado em Diversos Programas de Pós-Graduações em Fisioterapia;

Pós-Graduado em Fisioterapia Esportiva;

Mestre em Fisioterapia Esportiva;

Sócio especialista em Fisioterapia pela SONAFE-RJ;

Formação em Podoposturologia;

Formação em Saúde Integrativa;

Idealizador da Tálus Posturologia Integrativa.

 

Prof. Clailson Henriques de Almeida Farias – Esp. Fisioterapeuta Crefito 83627-F

Assistente técnico judicial.

Pós-graduado em acupuntura – Especialista Profissional

Formação em Ortomolecular

Formação em Homeopatia

Formação em Fitoterapia

Formação em Terapia neural.

Presidente da ABRASFIPICS – Associação brasileira de fisioterapia integrativa e práticas interativas e complementares em saúde.

Formação em perícia judicial e assistência técnica – IPJUD.

Formação em perícia judicial – CONPEJ.

 

Localização

Conselho Nacional dos Peritos Judiciais da República Federativa do Brasil (CONPEJ)

Rua Engenheiro Adel, 80 – Tijuca
Rio de Janeiro / RJ
CEP: 20260-210

CENTRAL DE ATENDIMENTO
(21) 2234-2401 / (21) 2567-7657 / (21) 98481-7168

EMAIL
cursos@conpej.org.br

Investimento

Texto padrão bloco investimento.

Opções de Pagamento


Depósito/Transferência Banco do Brasil

Banco do Brasil, Ag 3010-4, c/c 21204-0 – CNPJ 05.506.344 / 0001-90

Apenas para pagamento a vista.

Investimento:

R$ 2.699,00 (% DE DESCONTO)

Pagamento Cielo

Parcelado em até 3x no cartão de crédito sem juros ou a vista pelo débito através do Pagamento Cielo. 

Investimento:

R$ 2.899,00 (em até 3x sem juros).

Cartão de Crédito (Sem Juros)

Parcele diretamente no cartão de crédito em até 4x sem juros.

Investimento:

1x = R$ 2.899,00    2x = R$ 1.449,50    3x = R$ 966,34    4x = R$ 724,75   

PagSeguro

Parcelado em até 18X, dependendo do cartão, através do sistema PagSeguro (consulte as taxas).

Investimento:

Consulte taxas diretamente no PagSeguro.

Modalidade 1º Lote
(À venda até 22/12/2019)
2º Lote
(Até 01/01/2019)
3º Lote
(Até 11/01/2020)
Opções de Pagamento
Livre R$ 2.899,00 R$ 2.999,00 R$ 3.100,00

Pagamento à vista com % de desconto

Ver opções   

Inscrição

Realize a inscrição clicando no botão de matricula logo abaixo.

Faça sua Matrícula   

Compartilhe